Você está aqui: Página Inicial Proteja a Natureza Árvores Turminha incentiva cultivo de legumes, frutas e flores

Turminha incentiva cultivo de legumes, frutas e flores

— registrado em:

 

Olá, Turminha!
Alguém já ouviu falar sobre horta urbana? Querem saber mais? Ah, nunca ouviram falar? Então, que tal aprender sobre ela e ainda colocar em prática no seu bairro ou escola?

 

 

Vamos lá!

Horta urbana é um pequeno espaço de terreno (exceto quintal) alugado ou cedido a moradores ou pessoas interessadas no cultivo de legumes, frutas ou flores, em áreas urbanas, para consumo de todos do bairro.

Existem quatro tipos de uso das hortas urbanas e elas são classificadas como:

  • hortas sociais – usadas para atender às necessidades alimentares de pessoas e/ou famílias carentes, que também podem ser usadas para comércio com renda destinada ao sustento dessas pessoas;
  • hortas de recreio – usadas principalmente como fonte alternativa de alimentos;
  • hortas de recreio coletivas – usadas por grupos de moradores para o recreio e a educação ambiental;
  • hortas pedagógicas – usadas como instrumento de educação ambiental.


Em algumas regiões do Brasil já é possível encontrar esse tipo de cultivo. Muitas hortas são localizadas em praças e canteiros centrais. Para uso desses terrenos, geralmente áreas públicas, é preciso um contato com a prefeitura ou órgão competente da cidade, para que o Estado fique ciente da utilização do espaço e os organizadores não precisem desativar a horta, estabelecendo um acordo, ainda que informal.

Para uma boa horta também são necessários outros cuidados: limpeza do local (com adubo de boa qualidade, que pode ser obtido de minhocasas e/ou compostagem doméstica); seleção de sementes e culturas adequadas; disponibilidade de luz solar; cercas de proteção, para que animais não transitem pelo ambiente; um estudo do solo, para saber se ele realmente é bom para o plantio; placas para informar visitantes e moradores sobre regras de utilização da horta como a proibição do cultivo de árvores frutíferas (propícias a formação de arbustos) e informes gerais, como mutirões.

As ferramentas utilizadas também podem ser fruto de outra boa iniciativa, a reciclagem. Com o reaproveitamento de garrafas pet como recipiente para o depósito de terra, água e sementes.

Nem sempre as hortas possuem organizadores ou ONGs à frente, muitas vezes os moradores se colocam como voluntários e cada um ajuda com o que pode, desde a manutenção até a doação de sementes, material e adubo. Dependendo da organização, qualquer um pode plantar, colher ou levar para casa a quantidade que desejar, gratuitamente ou com preços mais em conta. Nem sempre há uma data para colheita, há casos em que alguém fica responsável por essa etapa.

Outras opções de espaço para plantio são canos cortados, tabuleiros no telhado,  baldes,  vasos sobre terraços,  manilhas de cimentos e até em privadas desativadas. Nesses casos, em que a horta é feita em casas ou apartamentos, ela é classificada como individual e compartilhada quando dividida em uma área de acesso conjunto.

Que tal aprender a fazer uma horta? Os links abaixo ensinam tipos diferentes e alternativos de horta urbana. Peça a ajuda de um adulto, mobilize os seus vizinhos e mãos à obra!

 

Fontes:


Hortas urbanas
Planeta sustentável
Terreno ocioso vira horta urbana comunitária
Horta urbana

Ações do documento
Ferramentas Pessoais