Você está aqui: Página Inicial Nossa Cultura Turminha celebra folclore com Cuca e Murucututu

Turminha celebra folclore com Cuca e Murucututu

— registrado em: ,

Nesta época do ano, a Turminha fica muito ansiosa e empolgada. Todos falam sem parar. E sabe qual é o motivo dessa agitação?! É a comemoração do Dia do Folclore, celebrado em 22 de agosto. Para marcar a data, os amigos gostam de lembrar ou aprender novas histórias, danças, músicas e lendas que fazem parte da sabedoria popular.                                                                

                                                                                    Ilustração: Virgínia Junqueira

imagem da Cuca segurando a coruja murucututu

O famoso saci-pererê, a lenda da mandioca e a histórias do Curupira, do Boto e da Iara já foram contadas pela Turminha. Dessa vez, eles vão apresentar outros dois personagens do folclore brasileiro: a Cuca e a Murucututu. Vale lembrar que as lendas são histórias contadas de geração em geração para explicar acontecimentos misteriosos e geralmente misturam fatos reais e imaginários. 

Afinal, quem é a Cuca?
Com certeza, muita gente já ouviu falar na Cuca, vilã descrita por Monteiro Lobato em seus livros infantis e em sua adaptação para a televisão do Sítio do Pica-Pau Amarelo. Considerado um dos principais seres do folclore brasileiro, a Cuca é uma velha feia que tem forma de jacaré e uma voz assustadora. Dizem que só dorme uma noite a cada 7 anos e quando fica com raiva costuma dar um berro que pode ser ouvido bem longe. Por ficar muito tempo acordada, é usada para amedrontar crianças que não querem dormir cedo, como na cantiga infantil: “Nana nenem que a Cuca vem pegar, papai foi para roça, mamãe foi trabalhar”.
A Cuca também existe na Espanha e em Portugal, onde tem o nome de "Coca" e é representada por um dragão. A lenda teria chegado ao Brasil junto com os portugueses durante o período da colonização.

Murucututu?! Que nome estranho é esse!?
No mundo real, é um tipo de coruja que existe em todo o Brasil, sobretudo na Amazônia. A ave ganhou esse nome por ser parecido com o som que emite, um canto grave e longo. Já no mundo da sabedoria popular, a murucututu é conhecida como a mãe do sono ou ave sonolenta. Ajuda a adormecer crianças que demoram a dormir, emprestando seu sono bom para elas. Assim como a Cuca, está presente em algumas cantigas de ninar como a que diz: “murucututu da beira do telhado, leva esse menino que não quer ficar calado...”

Aproveitando a data comemorativa, a Turminha separou outros textos sobre o assunto e também vai deixar uma sugetão de jogo online: o “Esconde esconde do folclore”, uma forma divertida de conhecer outros personagens do folclore brasileiro.

Fontes:
Brasil Escola
Educar para Crescer

Ações do documento
Ferramentas Pessoais