Você está aqui: Página Inicial Nossa Cultura Regiões Brasileiras 2013

Série Regiões Brasileiras: Turminha visita Paraíba, Rio Grande do Sul e Brasília

A Turminha do MPF volta a arrumar as malas e convida os amigos para continuar a viagem pela série Regiões Brasileiras. Lembram das aventuras? Entre os meses de setembro e novembro de 2012, passaram por vários lugares do Brasil para conhecer um pouco sobre os costumes, palavras, comidas típicas, lendas, músicas, história, brincadeiras e pontos turísticos. Agora, a viagem segue para os destinos que faltavam: Paraíba, Rio Grande do Sul e DF.

Vamos acompanhar a Turminha nessas aventuras?!

Então, boa leitura!

 

Menu Interativo

ilustração da catedral de Brasíliailustração da Paraíbailustracao_turminha_Rio_Grande_Sul_Icone.jpg
BrasíliaParaíbaRio Grande do Sul

 

Brasília: uma "jovem senhora"

Inaugurada em 21 de abril de 1960 pelo então presidente da República Juscelino Kubitschek, Brasília já conta com mais de 2 milhões de habitantes, entre candangos (trabalhadores que ajudaram na construção da futura capital), brasilienses (que nasceram em Brasília) e brasileiros que se deslocaram de várias regiões do país.

Com tanta gente diferente, a cidade reúne uma diversidade cultural que pode ser percebida nas crenças, tradições, sotaques, costumes, músicas, comidas,... 

A parte mística da cidade surgiu há muitos anos, quando, no século XIX, o santo italiano João Bosco teve um sonho profético sobre o surgimento de uma nova civilização entre os paralelos 15 e 20, justamente no local onde se encontra Brasília. E por causa dessa história, vários lugares foram batizados em homenagem ao santo italiano, entre eles a Ermida Dom Bosco (pequena capela inaugurada em 1957) e o Santuário Dom Bosco (igreja decorada por vitrais em 12 tonalidades de azul).

Partindo do traçado de dois eixos que se cruzam, a forma da capital, vista de cima, parece um avião. E nesse “avião”, os endereços são orientados pelos pontos cardeais: N, S, L e O, e pela numeração crescente, do centro para as extremidades. Por isso, as ruas (quer dizer, quadras) não tem nomes e, sim, números e letras. 

A beleza arquitetônica de Brasília é muito conhecida, especialmente pelos trabalhos do urbanista Lúcio Costa e do arquiteto Oscar Niemeyer. Um dos pontos turísticos mais antigos é a Igrejinha, inaugurada em 1958.

ilustração da catedral de Brasília Considerada um "museu a céu aberto”, Brasília oferece aos visitantes outras atrações turísticas, como Palácio da Alvorada, Palácio do Planalto, Congresso Nacional, Praça dos Três Poderes, Catedral, Catetinho, Torre de TV, Memorial JK , Panteão da Pátria, Memorial dos Povos Indígenas e o Complexo Cultural da República, um centro cultural localizado ao longo do Eixo Monumental.

Ah! Não podemos esquecer da Ponte JK, que já foi premiada internacionalmente, e da nova torre de TV Digital, batizada de “Flor do Cerrado”.

Agora vamos falar dos parques! Que delícia poder caminhar, brincar, andar de bicicleta, patins ou só descansar e admirar as áreas verdes no Parque Nacional de Brasília (Água Mineral), no Parque da Cidade, no Jardim Botânico e no Parque Olhos D'Água. Um pouquinho mais distante da cidade é possível fazer um roteiro ecológico que inclui cachoeiras, grutas e lagoas, como a Lagoa Bonita, a Reserva Ecológica Paraíso na Terra e a Chapada Imperial.  Outra opção é visitar o Poço Azul, com águas límpidas e azuladas (claro, né?!), cascatas, corredeiras e uma caverna inundada.

E será que Brasília tem algum tipo preferido de música? Na verdade, tem vários...muita gente gosta de forró, de música sertaneja, de choro, de MPB e, claro, de rock. Afinal, no começo dos anos 80, surgiram várias bandas de rock que fazem sucesso até hoje como Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude. Outros artistas também passaram momentos especiais na cidade no começo da carreira como Ney Matogrosso, Oswaldo Montenegro, Cássia Eller, Zélia Duncan, Renato Mattos e membros dos Paralamas do Sucesso.

E quando bate aquela fome, os moradores e visitantes de Brasília contam com uma mistura da culinária das regiões do Brasil. Mas típico mesmo são os frutos e frutas do Cerrado, como a mangaba, pequi, baru, araticum, cagaita, graviola e capuaçu. 

Depois dessas dicas, você está convidado a conhecer a famosa capital do Brasil. Essa “jovem senhora” te espera de braços abertos. 

 

Clique nas imagens e confira galeria de fotos

foto da Procuradoria Geral da República foto da Ponte JK foto da Ponte JK

 

Voltar ao menu interativo

 

   Paraíba, sim senhor!

Você conhece a Paraíba? É um estado do Nordeste brasileiro que abriga
o ponto mais oriental das Américas. Calma, deixa a gente explicar: isso
quer dizer que aqui o sol nasce primeiro antes de nascer em todos os
outros lugares. É conhecido por paisagens naturais bonitas e gente
sorridente.

Mesmo com os computadores e videogames, as crianças não abrem mão de brincar de pega-pega, esconde-esconde e empinar pipa na praia ou na rua. Elas ouvem as lendas de Comadre Florzinha, Papa-Figo e Pai do Mangue enquanto saboreiam macaxeira com carne de sol. 

ilustração da Paraíba Hummmm... e tem mais: vocês devem saber que todo mundo aqui nasce com o forró no pé, né? O Maior São João do Mundo, que acontece em Campina Grande, tem concurso de quadrilha e casamento na roça. E ai do noivo se ele fugir do compromisso! Ôxe, você tá pensando que é só isso? Tem muito mais! 

Aqui nasceu muita gente de sucesso: grandes escritores e poetas, como Augusto dos Anjos e Ariano Suassuna e músicos conhecidos em todo o Brasil, como Flávio José, Elba Ramalho e Chico César. 

Quem gosta de dinossauro precisa conhecer Sousa, cidade do sertão paraibano que abriga um grande Vale dos Dinossauros, com pegadas enooooooormes dos dinos que moravam aqui no Estado. 

A vegetação e o clima mudam de acordo com cada lugar. É que mesmo sendo um estado só, a Paraíba é rica em diversidade natural e cultural. 

Lá também tem vários pontos onde dá para ver um pôr do sol bem bonito: a tradicional Praia do Jacaré (onde todo dia um saxofonista toca o “Bolero de Ravel” há anos) e o Hotel Globo, que fica no Centro Histórico. E falando em Centro Histórico, vocês precisam conhecer e tirar fotos nas casinhas coloridas, praças e igrejas bem antigas que tem por lá. 

Gosta de cinema? O que acha de conhecer um lugar onde filmes como “O Auto da Compadecida” foram filmados com ajuda dos moradores? Pois é. Cabaceiras, outra cidade da Paraíba, é conhecida como a “Roliúde Nordestina”. Sabe por que? Não sei... “só sei que foi assim”! 

É isso, galera! A gente poderia passar horas e horas falando de um monte de coisas que tem e acontece aqui na Paraíba. Mas esperamos que você e sua família venham conferir de pertinho. E, para nunca esquecer da visita, não deixem de levar lembranças do nosso artesanato e um saquinho de cocadas, castanhas e rapaduras para presentear os amigos!

 

Clique nas imagens e confira galeria de fotos

 Casas coloridas Paraíba São João de Campina   Vista aérea de João Pessoa

  

icone_audio_fone.gif Quer ouvir esse texto narrado com sotaque paraibano? Clique aqui 

 

Voltar ao menu interativo

 

 

Rio grande do Sul: a terra do chimarrão

No Rio Grande, os meninos são chamados de guris, piás, e as meninas, de gurias. Seja na cidade grande ou no campo, no Pampa com suas lindas paisagens e cavalos, eles brincam com os seus cuscos (pequenos cães sem raça definida), usam roupas típicas de gaudérios e prendas, comem o famoso churrasco e já aprendem a preparar e a sorver o chimarrão. E, é claro, falam muitas expressões como Báh e Tchê. 

ilustração de gaúcho com chimarrão As tradições gaúchas mantêm vivas este típico vocabulário. Por aqui, temos até o chamado dicionário gauchês que traz as expressões regionais e é um dos grandes amiguinhos para quem chega de fora e quer entender melhor como os gaúchos falam – esses habitantes do Rio Grande do Sul dedicados à vida pastorial e orgulhosos conhecedores das lides campeiras.

Aliás, participar também da festiva Semana Farroupilha, evento da cultura gaúcha que ocorre no mês de setembro todos os anos em Porto Alegre, pode ser um programa diferente e divertido. É uma boa oportunidade de conhecer de perto um pouco da história do Estado, da Revolução Farroupilha, que durou quase 10 anos e é reconhecida como a mais longa revolução do país. 

Para aguçar a imaginação dos pequenos, não faltam lendas. Tu já ouviste falar de um tal de Negrinho do Pastoreio? Um guri escravo que cuidava de cavalos, sofreu maus tratos do patrão, um fazendeiro, e morreu num formigueiro? Só que o fazendeiro foi surpreendido pela visão do Negrinho sem machucados, junto ao pé da árvore e com a Virgem Nossa Senhora, que saiu pastoreando os animais que estariam perdidos. Mas, e se tu perderes algum brinquedo ou objeto de valor sentimental? Não desanime! Até hoje, muitos avós e pais costumam aconselhar a acender uma vela para o Negrinho do Pastoreio, acreditando que o guri vai ajudar a encontrar o objeto perdido.

Além de tudo isso, para alegria da piazada, a terra do chimarrão é a terra do chocolate e do Natal. Se na Fronteira tu podes montar a cavalo, apartar o gado, na Serra, em especial em Gramado, podes curtir a neve. Sim! No Estado mais frio do país pode nevar no inverno. Tu podes, ainda, ficar cara a cara e brincar com o Coelhinho da Páscoa, na Chocofest, e com o Papai Noel, no Natal Luz. Um mundo encantando de atrações e sabores que mantém vivo o espírito festivo dessas duas datas tão importantes para a criançada. 

As belezas do Rio Grande do Sul, entretanto, não estão somente nos Pampas ou na Serra. Podem ser conhecidas e exploradas também no Litoral e na capital Porto Alegre. Além da areia e do mar, na praia tem parque aquático com mil brinquedos divertidos. A capital dos gaúchos tem o Rio Guaíba para velejar ou admirar, os parques verdejantes para correr, jogar bola e pegar um solzinho, além da Feira do Livro que é um convite para uma viagem pra lá de especial ao imaginário infantil e um bom pretexto para visitar o coração da capital dos gaúchos. 

 

Clique nas imagens e confira galeria de fotos

 Chocofest  Natal Luz  Neve

 

Voltar ao menu interativo 

 

 

 

Ações do documento
Ferramentas Pessoais