Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Direitos das crianças Alimentação Alimentação Saudável Vó Zita dá dicas de boa alimentação infantil

Vó Zita dá dicas de boa alimentação infantil

— registrado em: ,

 Texto publicado em agosto de 2011

Vó Zita FrutasOlá, crianças! Vamos conversar sobre alimentação saudável? Então, os pais têm que se preocupar com uma boa alimentação dos filhos desde cedo, porque comer bem é um hábito que começa na infância e continua por toda a vida. 

A infância é o momento em que vocês, crianças, crescem e se desenvolvem mais rápido, e a boa alimentação é muito importante para o crescimento. Um cardápio com todos os nutrientes necessários combate a desnutrição infantil e doenças como a anemia, que atinge mais de 40% das crianças com menos de 5 anos de idade.

Outra coisa que é importante saber é que a obesidade (excesso de peso) está crescendo entre as crianças .  A pesquisa de orçamento familiar (POF), realizada pelo IBGE em 2008 e 2009, mostrou que uma em cada três crianças de 5 a 9 anos estava acima do peso recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Alimentação dos pais

Crianças, vocês sabiam que a alimentação dos pais influencia na alimentação dos filhos? Isso acontece porque, se os pais comem coisas saudáveis, geralmente, as crianças também passam a comer. Dessa forma, os pais precisam comprar e consumir sempre frutas, hortaliças, arroz, feijão, leite, etc. e evitar a compra de produtos industrializados, como papinhas prontas, sorvete, biscoitos recheados e pizza.
Nutrientes

Amigos da Turminha do MPF, é preciso conhecer os alimentos e que nutrientes eles têm para ajudar no crescimento de vocês. As substâncias mais importantes para o desenvolvimento infantil são proteínas, cálcio, ferro, zinco, vitaminas A, C e D.

- Cálcio para ossos mais fortes: o cálcio e a vitamina D servem para formar os ossos e os dentes. Para as crianças com menos de 2 anos, o melhor jeito de consumir o cálcio é o leite materno. A partir dos 2 anos, as crianças podem tomar leite de vaca e comer seus derivados. Além disso, o nutriente também está nos peixes (sardinha), vegetais verde-escuros e no gergelim.

- Ferro contra anemia: o ferro é o nutriente que faz com que o oxigênio que respiramos chegue às nossas células. Quando ele falta, ficamos com anemia, o que nos deixa fraquinhos. O alimento que mais tem ferro é a carne. Além disso, leguminosas e vegetais verdes escuros também são fontes de ferro. Outra dica importante é que,  para aumentar a absorção do ferro dos alimentos,  devemos comer também alimentos ricos em vitamina C (acerola, goiaba, caju, limão, laranja, morango).

- Vitamina A para enxergar melhor: a vitamina A faz muito bem para a visão e deixa o sistema imunológico mais forte. Para consumir essa vitamina, é importante comer alimentos alaranjados, como mamão, abóbora, cenoura e laranja. Além disso, o fígado também tem muita vitamina A.

- Zinco para crescer mais: a falta de zinco atrapalha o crescimento e diminui o apetite. Por isso, o consumo adequado desse nutriente é fundamental para o crescimento e o desenvolvimento infantil. A principal fonte desse mineral são as carnes.

Frutas e hortaliças

Frutas

Amiguinhos, boa parte dos nutrientes importantes para o crescimento são encontrados nas frutas e nas hortaliças (verduras e legumes). Eles fornecem a quantidade adequada de fibras, vitaminas e minerais necessários ao funcionamento do nosso corpo. As crianças devem começar a consumi-los cedo. Já nas primeiras papas salgadas, os alimentos devem ser oferecidos separadamente no prato para que a criança aprenda o gosto de cada um. Uma maneira interessante de consumir as frutas é em forma de suco.

Se a criança começar a recusar frutas e hortaliças, é necessário oferecer esses alimentos de maneiras diferentes e atrativas, tentando sempre estimulá-las. Ela não pode ser forçada a comer nada. Vamos lembrar que o exemplo dos pais é fundamental para que a criança continue consumindo frutas e hortaliças.

O que levar na lancheira

Nas lancheiras, não pode faltar a fruta e uma porção de carboidrato (pães, biscoitos sem recheio, bolo caseiro, cuscuz). Para evitar desidratação, na lancheira deve ter também uma garrafinha com água, suco natural ou água de coco. É importante evitar doces, frituras e alimentos industrializados (até mesmo o suco de caixinha, que possui elevada concentração de açúcares), porque esses alimentos estão associados a um maior risco de sobrepeso e obesidade.

Sugestão de cardápio

Rafinha_comendo
1 a 2 anos – Uma fruta e uma porção de carboidrato complementar (uma bisnaguinha ou três biscoitos de maisena ou uma fatia de pão ou cuscuz). Prefira frutas no lugar de sucos ou vitaminas. Dessa forma, a mastigação da criança é estimulada e ela começa a reconhecer as comidas. Banana, pera e maçã são ótimas opções.

2 a 6 anos – Suco de fruta natural, de preferência sem açúcar. Biscoito integral, torrada ou pão acompanhados por queijo branco e peito de peru. Também são permitidos bolos de cenoura, banana, abacaxi ou laranja.

7 a 12 anos – O que muda para as crianças dessa faixa etária é o tamanho das porções. Permanecem as fontes de carboidrato, proteína e fruta. Pães integrais, queijos, iogurtes, cereais, bolo simples e frutas são bem-vindos.

Ações do documento
Ferramentas Pessoais